AO VIVO

quinta-feira, 13 de março de 2014

A carruagem virou abóbora



O Leverkusen ainda é o time que pode se vangloriar de ter sido o ultimo time a ter vencido o poderoso Bayern de Munique na temporada passada. Mas é a única coisa de que o torcedor da cidade da industria de remédios pode se felicitar, apesar da vice liderança que ostentou por muito tempo, o que se demonstrou apenas uma questão de tempo até que o Borussia Dortmund se estabilizasse e engolisse a equipe da Renânia do Norte, e deu mostras de uma recuperação que provavelmente o levará a se fixar nessa posição, o que sobraria apenas duas vagas para UCL e uma direta.

O Bayer, assim como a grande maioria dos clubes alemães, vive na "bolha" de prosperidade que é a bundelsiga, e a sua carruagem era muito bonita com a vice liderança do alemão onde esteve por 12 rodadas, 10 consecutivas na vice liderança e jogadores como Sam, Son jogando muito bem e o artilheiro Kiessling fazendo gols em doses industriais. A aposta Sami Hyypiä como técnico parecia que a vaga e o título simbólico dos mortais (vice liderança) estaria garantidos. E a receita sempre passou pelo aproveitamento nesses jogadores. Só que algo desandou com a realidade dura, fora da bolha, nas competições europeias. Se classificou até de certo modo tranquilo num grupo que tinha Manchester United.


O primeiro jogo fora do campeonato alemão evidenciou as fraquezas do clube que levou um sonoro 4 x 0 em casa contra um poderoso PSG. Mas o que mais chama atenção é a queda vertiginosa na bundesliga, após as 10 rodadas seguidas na vice liderança, e já viu sua posição cair e já tem o Schalke, que também tomou duas lavadas seguidas, nos seus calcanhares, lembrando que dessas três derrotas seguidas, perdeu pro próprio Schalke jogando na Bay Arena. Só havia perdido 5 jogos até 19° rodada e era o 2° no quesito vitórias (não preciso citar o 1°, né). 

Esse viés de baixa é muito preocupante, até porque com o título já praticamente decidido, o que vai restar são as vagas para a próxima UCL, apesar de ter uma situação financeira sólida, jogar a maior competição europeia é sempre um reforço nos cofres. Hyypiä precisa achar uma solução para reorganizar a defesa, que era muito bem postada no início da competição. O time funcionava muito bem quando o seu esquema encaixava com o do adversário, o 4-3-3 com seus pontos a moda holandesa bloqueando laterais, diminuição de espaços era o suficiente pra fazer desse Leverkusen um time muito bem balanceado. Talvez essa auto suficiência transformou num time engessado, fácil de ser marcado e principalmente seus principais jogadores pararam de jogar o futebol que vinham apresentando. Essa sequência de vexames faz muito mal para o psicológico do time, que começa a ter o péssimo costume de perder, e pro professor Hyypiä reverter vai precisar de experiência, não de ex-jogador, mas de técnico, coisa que ele ainda não tem.

Os três próximos jogos na Bundesliga são determinantes para essa mini recuperação, dois jogos fora, Hannover (11°) e Bayern (podendo ser campeão em casa) e em casa contra o Hoffnheim (10º).


texto de Emanuel Mourão